Foto: Divulgação/Associação AjudôuModalidade que já deu ao Brasil 22 medalhas olímpicas, três delas nos Jogos Rio 2016 com Rafaela Silva (ouro), Mayra Aguiar (bronze) e Rafael Silva (bronze), o judô é contemplado pelo Minas Esportiva Incentivo ao Esporte. Nas cidades de Dionísio, no território Metropolitano, e de São José do Goiabal, no Caparaó, a Associação Ajudôu oferece o acesso à prática esportiva a 400 estudantes da rede pública de ensino. “O Governo de Minas Gerais tem priorizado o esporte por meio de ações de incentivo e isenções fiscais. Essa é uma forma bem planejada para garantir recursos em prol da qualidade de vida da população, do lazer e da descoberta de talentos que irão representar a bandeira do nosso estado em competições no Brasil e fora dele”, observa o secretário de Estado  Esportes em exercício, Ricardo Sapi.

Na Escola Municipal Doutor Gomes Lima, em Dionísio, o projeto Ipon Social teve sua execução iniciada no dia 10 de janeiro de 2017, enquanto na Escola Municipal Manoel Lúcio de Moraes, em São José do Goiabal, o Ajudôu Ano II começou na última quarta-feira, 15. Crianças e adolescentes de 07 a 17 anos, nos naipes feminino e masculino, são organizadas em oito turmas de 25 alunos e treinam todas as segundas e quartas-feiras durante uma hora, no contraturno escolar. “Nas aulas trabalhamos o comportamento e fortalecemos questões de respeito, disciplina, paciência, muitas vezes relacionando, de forma lúdica, o que se aprende dentro da sala de aula”, relata o administrador da Associação, Júlio César Lana Jaques.

Professor da Ajudôu, Fernando Cipriano, considera o maior triunfo do programa a inclusão social através do esporte. “Muitas das crianças não estariam aqui se não fosse o projeto. Conseguimos tirá-las da rua, fazendo com que ocupem o tempo com a atividade esportiva”, explica. Aluna da E. M. Doutor Gomes Lima, Mirelle Pena, de 11 anos, participa desde 2015 do programa. “Gosto muito das aulas porque consigo exercitar, aprender os golpes de judô e também perder peso”, conta.

Júlio também comemora o retorno que recebe das escolas e das famílias. “Ouvimos relatos de melhora de comportamento, adolescentes que param de ser agressivos, de brigar dentro das escolas e se tornam mais pacientes dentro da sala de aula. Percebemos que eles se sentem mais acolhidos com o nosso programa”, afirma. Grande parte dos que participam das atividades já são estudantes das instituições de ensino, porém, segundo o administrador, aqueles que estiverem interessados devem comparecer com o responsável nos dias de treino e verificar a disponibilidade de vagas. Caso todas estejam preenchidas, o candidato ficará na lista de espera.

O projeto Ajudôu Ano II é executado pelo segundo ano consecutivo via Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, enquanto o Ipon Social é viabilizado pela primeira vez. A Associação captou para os dois projetos R$ 382.801,60 junto à ArcellorMittal. “Por meio da Lei é que realmente conseguimos ter condições de fazer o trabalho comunitário acontecer. Outro detalhe importante é a valorização do profissional de Educação Física, que encontra reconhecimento e motivação em ações como essa”, finaliza Júlio.

A Lei Estadual de Incentivo ao Esporte

O Minas Esportiva Incentivo ao Esporte é um programa de fomento à prática esportiva em Minas Gerais. Por meio dele 0,05% da receita líquida anual do ICMS que coube ao Estado podem ser direcionados pelas empresas contribuintes para apoiar atividades esportivas ou paradesportivas.

Desde que foi sancionada a Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, foram aprovados 452 projetos que trouxeram benefícios tanto para a população atendida quanto para as empresas apoiadoras. Desse total de iniciativas, 117 projetos já foram executados ou estão em execução com recursos que ultrapassam os R$ 31,8 milhões.

Hoje, o número de beneficiários já chega a mais de 66 mil entre crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, em 51 municípios de Minas Gerais.

Mais informações aqui.