img-paralimpiadasAo todo, mineiros conquistaram 46 medalhas

Um dos maiores eventos desportivos do mundo, as Paralimpíadas Escolares 2018, chegou ao seu final, na última sexta-feira (23), com uma confraternização entre os atletas no pavilhão oeste do Centro de Eventos Anhembi. A delegação mineira, que levou o expressivo número de 108 atletas, fez bonito: trouxe em suas bagagens 46 medalhas. Foram 21 de ouro, 15 de prata e 10 de bronze. No ranking geral da competição, Minas figurou o quinto lugar. A colocação mineira deu um salto na comparação com seu desempenho nos jogos de 2017, quando atingiu a 11ª colocação.

O secretário de Estado de Esportes, René Vilela, comemorou o resultado. “Estamos todos muitos contentes com a marca alcançada, fez valer o esforço e investimento da equipe da secretaria. Ficamos ainda mais contentes pelo ciclo virtuoso que essa delegação campeã vai deflagrar nos estudantes com deficiência de Minas”.

O coordenador de Paradesporto da Secretaria de Estado de Esporte (SEESP), Cláudio Coelho, também celebrou a performance da delegação mineira. “O resultado foi muito positivo. Nossa melhor posição no ranking é reflexo dos trabalhos que realizamos durante o ano, sobre tudo nos Jogos Estudantis de Minas Gerais (JEMG). Vamos estudar novas ações nos municípios, de modo a qualificar os professores de educação física no apoio e identificação de paratletas com perfil competitivo”. 

Rosana Bastos, que chefiou a delegação durante as Paraolimpíadas Escolares, também celebrou o resultado. “Nosso crescimento reflete todo o trabalho realizado pelo Estado e pelos municípios, cujos frutos despontaram na última edição do JEMG”. Os atletas que integraram a equipe foram os campeões da última etapa dos Jogos Estudantis de Minas Gerais (JEMG), realizado no último mês de outubro, em Uberaba.

Danilo César Trindade, técnico da seleção da equipe de Bocha, destacou a importância do evento para os atletas.  “O primeiro ganho para os nossos alunos é o da socialização. Ele fica entre os seus iguais. O segundo é o da motivação, pela imersão em um ambiente totalmente voltado para a competição atlética. O estudante fica focado no seu rendimento e nas oportunidades.  O estímulo também recai sobre nós treinadores. É minha primeira participação na condição de técnico e voltei com a cabeça cheia de projetos para os nossos alunos, tendo em vista as competições para o próximo ano”.  

A delegação mineira foi assim constituída: 30 estudantes no atletismo, 14 para a natação, 12 no Tênis de Mesa, 10 no Goalball, 7 no Futebol de 5, Futebol PC foram 10, Vôlei sentado foram 8, Bocha outros 8 atletas, três disputaram o Judô 3, Tênis de mesa de Cadeira de Rodas-CR 1.