img-instagram2

Este ano, os jogos indígenas irão reunir cerca de 1 mil indígenas, de 11 etnias, pelo fortalecimento e preservação da identidade indígena no Estado

Os Jogos Indígenas mostram a necessidade de o poder público atuar na preservação da cultura indígena, na promoção de atividades socioeducativas, de cidadania e interação entre as etnias presentes no Estado. É com esses objetivos que o governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), promove a 6ª edição dos Jogos dos Povos Indígenas, na Aldeia Xakriabá, no município de São João das Missões, entre os dias 26 e 29 de dezembro.

A expectativa é que, este ano, cerca de 1 mil indígenas de diferentes etnias participem dos jogos. As competições serão o tradicional arco e flecha, cabo de guerra, bodok, futebol, arremesso de lança (os atletas devem acertar o alvo a uma distância de 15 metros), zarabatana, derruba o toco (círculo com diâmetro de 3 metros onde os competidores lutam e vence quem consegue forçar o adversário a derrubar o toco) e a corrida do maracá (equipe de dez atletas, e percurso de 100 metros (masculino) e 50 metros (feminino); no retorno o atleta passa o maracá para o próximo, e vence a equipe que fizer o percurso com menos tempo).

O Conselho dos Povos Indígenas do Estado de Minas Gerais (COPIMG) é o idealizador dos jogos e foi o órgão responsável por buscar as parcerias junto aos poderes estadual e municipal. A Prefeitura Municipal de São João das Missões também é promotora do evento, e as secretarias de Estado de Participação Social e Cidadania (SEDPAC), de Saúde (SES), Direitos Humanos, Cultura e Educação, também apoiam os jogos indígenas.

O território indígena Xakriabá está dividido em duas áreas distintas, com uma extensão total de aproximadamente 51.900 mil hectares. Com população estimada em aproximadamente oito mil indígenas, distribuídos em 31 aldeias.

A história dos jogos em Minas

Os Jogos acontecem desde 2012 com recursos assegurados pela Emenda da Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa, proposta pelo Conselho dos Povos Indígenas do Estado de Minas Gerais (COPIMG). A primeira edição dos Jogos foi sediada pelos Xackiabás, residentes em São João das Missões, e contou com mais de 2 mil participantes. A segunda edição aconteceu na Aldeia Guarani do Povo Pataxó, no município de Carmésia.

Em 2014, os Jogos foram recebidos pelos Krenak, no município de Resplendor. Em 2016, a etnia Maxakali de Ladainha recebeu o encontro, que contou com a participação de mais de 800 indígenas. Em 2017, a Aldeia Xucuru-Kariri, do município de Caldas, sediou os Jogos. Este ano, os Xakriabás serão anfitriões novamente.

Abrangência dos jogos indígenas

Os jogos indígenas acontecem em vários estados do país. Desde 1996 são realizados os Jogos Brasileiros e, em 2015, foi realizada a primeira edição dos Jogos Mundiais Indígenas em Palmas (Tocantins). Participaram indígenas de 22 países e 24 etnias brasileiras. 

Confira abaixo a programação dos Jogos dos Povos Indígenas de Minas Gerais:

cartaz-01